Estratégia

Estratégia de eficiência coletiva

Voltar

Os programas Provere

Os Programas de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE) pretendem fomentar, de uma forma sustentável, a competitividade dos territórios de baixa densidade populacional, através da dinamização de actividades económicas (produtoras de bens e serviços transaccionáveis) inovadoras e alicerçadas na valorização de recursos endógenos, tendencialmente inimitáveis do território, como sejam recursos naturais, património histórico, saberes tradicionais ou outros.

Os PROVERE promovem intervenções assentes em parcerias de natureza institucional que envolvem, obrigatoriamente, empresas, mas também organismos da Administração Pública, como as Câmaras Municipais, associações empresariais e de desenvolvimento local e regional, instituições de investigação e de transferência de tecnologia, entre outros. Estas parcerias formalizam-se através da constituição de um consórcio que implementará um Programa de Ação, no pressuposto de que a fragilidade institucional dos territórios de baixa densidade pode ser ultrapassada por uma lógica de rede devidamente organizada e estruturada, permitindo ganhos acrescidos face aos que se obteriam através da mera soma de iniciativas individuais e isoladas.

Assim, no caso da Região Centro, este programa cobre grande parte do território regional. Dado o enfoque temático nos recursos endógenos, a sua incidência territorial é flexível, adequando-se aos espaços regionais onde se localizam os recursos que se pretendem valorizar.

Este é, pois, um instrumento no contexto do QREN da maior relevância para a estratégia de desenvolvimento da Região Centro. Constitui uma oportunidade incontornável para assegurar a grande parte da região o apoio na valorização de recursos ligados à natureza e ao ambiente, mas também à cultura e ao património histórico.

As áreas de montanha e os espaços naturais protegidos, a água e, de um modo geral, os recursos hídricos, o património histórico associado às diferentes fases e momentos de ocupação do território (património arqueológico, aldeias e lugares, monumentos e conjuntos históricos), mas também o património cultural, associado às tradições e ao saber-fazer que numerosas gerações moldaram em produtos de rara beleza ou de sabores inigualáveis, são a matéria prima que os Programas PROVERE pretendem valorizar economicamente.