Plano de ação

De forma a operacionalizar do melhor modo a estratégia de comunicação e marketing, as ações foram elencadas em componentes de atuação, que se encaixam nos seguintes parâmetros:

1. CONSOLIDAÇÃO DA MARCA E DO PRODUTO TURÍSTICO TEMÁTICO (Her. Jud.)

2. SINALIZAÇÃO

3. DIVULGAÇÃO DE PRODUTOS TURÍSTICOS

4. ESTRATÉGIAS DE DINAMIZAÇÃO

5. MEIOS E ESTRATÉGIAS DE DIVULGAÇÃO

6. SISTEMA DE ATENDIMENTO

7. AVALIAÇÃO E MONITORIZAÇÃO

8. FORMAÇÃO E GESTÃO DE CONHECIMENTOS DE RECURSOS HUMANOS

9. LINHA PERMANENTE DE APOIO AO TURISTA Assim, o PCM, neste formato, interage com os diversos segmentos da sociedade, com a pretensão de:

I. Capacitar para o fortalecimento regional, através da criação de uma Marca de prestígio, com âmbito Nacional e Internacional, que cative o segmento alvo de turistas (Turismo: Cultural, Religioso (Na rota do judaísmo); Aventura; Turismo de Saúde e Bem-Estar; Gastronomia e Vinhos; Turismo Natureza (Serra da Estrela e Geopark); Turismo Residencial; “Touring” Cultural e Paisagístico, etc.)

II. Construir um modelo de planeamento diferenciado por tipo de turismo (Turismo: Cultural, Religioso (Na rota do judaísmo); Aventura; Turismo de Saúde e Bem-Estar; Gastronomia e Vinhos; Turismo Natureza (Serra da Estrela e Geopark); Turismo Residencial; “Touring” Cultural e Paisagístico, etc.), considerando diferentes configurações espaciais (destino único; destino “en route”; destino base ou “base camp”; itinerário regional ou seja destino=região, onde há vários sub-destinos a visitar; viagem em cadeia, ou seja vários destinos visitados em circuito);

III. Na utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC’s), entre os atores públicos e/ou privados de diferentes regiões, (de âmbito sub-regional, regional, nacional ou internacional), para comunicação de informação e a troca de experiências. A construção de páginas de internet interativas e assentes em sistemas de recomendação de roteiros;

IV. No Produto-Espaço: desenvolvimento de fatores diferenciadores e de complementaridade face às Regiões vizinhas, que reforcem o seu potencial de atração, que introduzam inovação na utilização dos recursos, que garantam continuidade nas atividades particulares da região e garantam notoriedade da sua identidade regional;

V. No Cliente e nas suas singularidades. Importa conhecer o target Nacional e Internacional para o produto “valorização do Património Judaico”, e diligenciar ações de Marketing para esse público-alvo. De notar que a sobrevivência deste sistema turístico, está diretamente relacionada à satisfação do cliente e todo o sistema deve ser orientado neste sentido. A visão do cliente deve ser uma preocupação básica de toda e qualquer empresa ou destino turístico, sendo considerada uma importante estratégia para orientar as funções e atividades de todo o sistema. Os desejos e necessidades dos clientes/turistas devem ser levados em consideração em todas as etapas da produção do bem ou serviço e funcionar como referencial para a sobrevivência do sistema.

VI. Na Formação dos recursos humanos em toda as latitudes do Cluster. As competências core e de Governance são cruciais no serviço a clientes e na medição da performance dos negócios. Assim, e com a estratégia da ADTAHP refletida e com as realidades intrínsecas a cada segmento de território abordadas, o Plano de Comunicação e Marketing de Aldeias Históricas de Portugal – Valorização de Património Judaico pretende concretizar os objetivos definidos, de forma sustentável e eficiente, contribuindo para a geração de valor para o território e para as marcas turísticas Centro de Portugal e Portugal.